quinta-feira, 31 de outubro de 2013

GDF e Empresas Públicas são premiadas pelo movimento “Limpa Brasil”




Entrega de placas em homenagem às ações de sustentabilidade ocorreu hoje durante abertura oficial do movimento em Brasília


O Governo do Distrito Federal e as Empresas Públicas BRB e Caesb foram homenageados pelo movimento "Limpa Brasil, Let's Do It!", na manhã de hoje, com placas de agradecimento pelas ações de sustentabilidade para o desenvolvimento do Distrito Federal. A premiação ocorreu durante a abertura oficial do evento, no Parque Olhos D'água, na Asa Norte.

"É um gesto de reconhecimento pelo Distrito Federal, que se importa com a reciclagem. E para Brasília, uma cidade moderna, é importante que se construa um conceito de sustentabilidade que se reflita no Brasil", destacou o governador em exercício, Tadeu Filippelli.

O secretário de Meio Ambiente, Eduardo Brandão, lembrou que o governo tem concentrado esforços para realizar ações que contribuam com o desenvolvimento que protejam os recursos ambientais.

"Nós iniciamos nesta semana as obras do nosso aterro sanitário, que atende às normas ambientais, firmamos um convênio com o BNDS para a construção de 12 galpões para reciclagem e estamos trabalhando para a licitação da coleta seletiva, que ocorrerá em todo o Distrito Federal", afirmou.

A ministra do Meio Ambiente, Isabella Teixeira, também agraciada com uma placa durante o evento, lembrou as potencialidades de Brasília para as políticas de Meio Ambiente, e anunciou um convite para que a Capital Federal lance um projeto nacional chamado "Brasil, Tá Limpo".

"Se Brasília é a capital que conseguiu conscientizar os motoristas a respeitarem os pedestres na faixa, ela também conseguirá ser capaz de conscientizar os brasilienses para reciclarem o lixo", defendeu.

Segundo a ministra, Brasília é um exemplo quando se trata de recursos hídricos e referencia em áreas verdes no perímetro urbano.

"Nós apoiamos que Brasília sedie o encontro mundial das águas, em 2018, que é a maior conferência de água do mundo", completou a ministra.

DADOS - Segundo o balanço do movimento Limpa Brasil, o País produz aproximadamente 240 toneladas de lixo diariamente, sendo o DF responsável por 16 toneladas deste total.

Apenas 2% do lixo é reciclado, e, atualmente, 95% dos lixões estão a céu aberto.

A iniciativa, realizada em Brasília pela primeira em 2012, conseguiu recolher 59 toneladas no ano.

segunda-feira, 21 de outubro de 2013

PM e Bombeiros realizam operação tartaruga

A Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros iniciaram a chamada operação tartaruga.



Segundo representantes de sindicatos e associações das categorias de segurança, o reajuste feito pelo governo local, de 15,8% divididos em três anos, é irrisório e não repõe a inflação acumulada nos últimos cinco anos, período em que não houve acréscimo real aos salários. 

“Estamos desde 2010 esperando que o GDF tome alguma atitude. Nada foi feito desde então. Cansamos. O período de governo está acabando e nós somos uma das poucas categorias que não foi reestruturada”, destaca o coronel reformado da PM Mauro Manoel Brambilla, coordenador do Fórum de Associações de PMs e Bombeiros. A decisão de operar lentamente foi tomada após assembleia com mais de cinco mil policiais e bombeiros na Praça do Relógio, em Taguatinga, na última sexta-feira. 

Serviços

Com a operação tartaruga, duas medidas serão tomadas pelos PMs e Bombeiros. A primeira diz respeito a ocorrências criminais e a outra a acidentes com vítimas. Agora, as categorias exigirão a presença da Polícia Civil no local de cada crime registrado. Além disso, as viaturas devem operar apenas nas velocidades permitidas. 

Ocorrências cujo cunho seja de responsabilidade da Polícia Civil, Detran e outros serão comunicadas aos órgãos, que deverão adotar as providências pertinentes.

Memória

A chamada operação tartaruga durou mais de dois meses no ano passado. O movimento foi iniciado em fevereiro e prejudicou o atendimento a ocorrências, conforme o relato de vítimas de crimes. 

Para colocar fim ao movimento, o comandante da corporação na época, Suamy Santana, ao assumir o cargo, anunciou um reajuste de cerca de R$ 600 na gratificação dos comandantes dos 33 batalhões do DF.

A operação tartaruga, assim como a greve da Polícia Civil, chegou a ser apontada como fator que contribuiu para o aumento de algumas modalidades de crime.

Pode haver punição


O secretário de Segurança, Sandro Avelar, disse que o órgão vem tentando dar o apoio necessário às categorias para que não haja problemas à população. Porém, ele não esboçou posicionamento claro sobre aumento de salário, afirmando somente que “deve haver boa vontade dos dois lados para buscar uma boa solução”. 

No Corpo de Bombeiros, a resposta foi a mesma. “Não fazemos operação tartaruga porque pessoas podem morrer se tomarmos esse posicionamento. Se chegar até nós alguma denúncia de servidores negando prestação de socorro, vamos apurar e tomar as devidas providências”, explicou o major da corporação, Eduardo Luiz Gomes.

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Metade das ambulâncias do Corpo de Bombeiros do DF está fora de operação

Do total de 40 carros da corporação, 14 estão em manutenção e seis estão batidos. De acordo com os bombeiros, as ambulâncias paradas fazem parte da frota reserva


Bombeiros socorrendo vítima após atropelamento (Monique Renne/CB/D.A Press)
Bombeiros socorrendo vítima após atropelamento

O Corpo de Bombeiros do Distrito Federal (CBMDF) tem metade das ambulâncias fora de operação. Segundo a corporação, dos 40 carros disponíveis, 14 estão em manutenção e seis estão batidos.

De acordo com o major Eduardo Luiz Gomes, assessor de imprensa do CBMDF, a maior parte das ambulâncias fazem parte da frota reserva e não estariam rodando mesmo que estivessem disponíveis. "Atualmente precisamos de 23 ambulâncias para atender todo DF de forma satisfatória, logo, nosso déficit é de três ambulâncias", explicou o major.

O militar ainda informou que até o fim do ano o CBMDF deve receber 30 ambulâncias novas. "Elas já foram compradas e esperamos que até dezembro elas possam ser entregues. A expectativa é aumentar o número de ambulâncias e atendimentos diários com a chegada nos novos carros", completou.

segunda-feira, 7 de outubro de 2013

Beleza da arquitetura dos templos religiosos atrai fiéis para Brasília

A arte no interior de igrejas e centros religiosos do DF é repleta de símbolos que aproximam os adeptos de cada crença

Colunas, vitrais coloridos e imagens sagradas. Todas as formas que delineiam igrejas e templos religiosos têm razão forte para existir: elas contam visualmente a história das crenças, independentemente de quais sejam as origens e as trajetórias cursadas. Os elementos físicos — os símbolos — guardam, em cor e textura, a memória de cada povo ou grupo que se uniu sob determinados princípios. É dessa forma que a narrativa de fé se concretiza e, portanto, explicita o entendimento dos valores que a compõe. Para isso, lança-se mão, muitas vezes, da beleza dos ambientes para impressionar os seguidores, uma vez que aquilo que encanta os olhos pode também preencher corações e mentes.

Do ponto de vista teórico, trata-se de um fenômeno de formalização de culturas, conforme explica o professor do departamento de Filosofia da Universidade de Brasília (UnB) Agnaldo Cuócco Portugal. “As religiões formam nosso modo de ver o mundo, então, elas claramente têm de ser simbólicas. Além disso, os símbolos são uma manifestação de algo superior ao ser humano e, portanto, dão significado para a vida”, define Portugal.

Quando beleza e arte se unem, o resultado são obras, como o teto da Capela Sistina, no Vaticano, ou a cúpula dourada da Mesquita de Omar, em Jerusalém. São exemplos de que, passados séculos e gerações, os ideais refletidos na arquitetura desses locais permanecem em ebulição.
Brasília não foge à regra e também tem locais em que a beleza é um componente religioso marcante. A reverência imagética permeia os altares do Templo Budista Terra Pura e da Igreja São Vicente de Paulo, as paredes do Centro Espírita Gentil Guerreiro e as vestimentas dos frequentadores da Igreja Bola de Neve. O Correio visitou alguns lugares para entender um pouco dos significados dos símbolos de cada uma dessas crenças.

Onde ficam
Paróquia São Vicente de Paulo
Igreja católica São Vicente de Paula em Taguatinga - Ed Alves/CB/D.A Press
Local: QSE 11/13, Área Especial 1, Taguatinga Sul
Horários: missas de terça a sábado, às 19h. Domingo, às 8h, às 10h e às 19h

Templo Budista Terra Pura
Templo Budista, na Superquadra 315/316 Sul - Ed Alves/CB/D.A Press
Local: Entrequadra 315/316, Área Especial, Asa Sul
Horários: segundas, quartas e sextas-feiras, às 19h. Sábados e domingos, às 9h

Igreja Bola de Neve
Igreja Bola de Neve Church - Ed Alves/CB/D.A Press
Local: SIA, Trecho 2, Lote 470/480
Horários: cultos às terças, às quintas e aos sábados, às 20h. Domingo, às 19h

Centro Espírita Gentil Guerreiro
Centro Espírita Gentil Guerreiro - Ed Alves/CB/D.A Press
Local: CL 410, Lote F, Área Cultural, Santa Maria Sul
Horários: sábado, às 14h

Paróquia Nossa Senhora da Esperança
Igreja Paróquia Nossa Senhora da Esperança na 307/308 - Ed Alves/CB/D.A Press
Local: EQN 307/308, s/n, Asa Norte
Horários: missas às segundas, terças, quintas, sextas e sábados, às 19h. Quartas, às 7h; e domingo, às 7h30, às 9h30 e às 19h.

Igreja católica: Capela São Francisco de Assis, no Núcleo Rural Casa Grande - Ed Alves/CB/D.A Press

terça-feira, 1 de outubro de 2013

Atendimento personalizado

Secretaria de Justiça do DF cria Disque Acessibilidade para atender deficientes



Atendendo a uma demanda diária de cerca de 50 denúncias feitas por deficientes em todo o Distrito Federal, a Secretaria de Justiça (Sejus), em parceria com a Agência de Fiscalização (Agefis), Detran e DFTrans inauguraram nessa segunda-feira (30) o Disque Acessibilidade, na Praça do Cidadão, na 114 sul.

O serviço é um meio de comunicação entre os deficientes e os órgãos competentes visando a solução de problemas. “Vamos centralizar todo tipo de denúncia que a gente tenha em relação a acessibilidade, até para que tenhamos noção da demanda e possamos implantar políticas públicas para essessas pessoas. Esperamos conseguir recolher o maior número de demandas e dar respostas mais rápidas”, diz o secretário de Justiça, Alírio Neto.

O secretário informa ainda que algumas reclamações terão solução imediata, enquanto outras serão encaminhadas para as instituições aptas a resolver as questões. “A presença de instituições como o Detran, o DFTrans e a Agefis atenderão, de forma imediata, as demandas recebidas”.

Elson Vasco, assessor de comunicação da Coordenação de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência (Cord) ligada à Secretaria de Justiça e cadeirante há 26 anos, reconhece que o Disque Acessibilidade é um canal importante, pois em algumas situações, como na falta de rampas e ocupação de vagas especiais, não se tem um local para fazer as queixas. Ele acredita que o serviço irá trazer melhorias para o assunto.

O serviço funcionará das 8h às 17h pelos telefones 2104-1173 / 2104-1174 / 2104-1175. Segundo estudos da Codeplan existem meio milhão de pessoas com alguma deficiência no DF.