segunda-feira, 5 de agosto de 2013

Voo direto Brasília-Buenos Aires é estratégico para desenvolvimento do DF


Destino sem escalas à capital argentina é o quarto do gênero que sai de Brasília para outros países e contribui para transformar região em polo de concentração aérea

O voo direto Brasília-Buenos Aires, reiniciado hoje, se soma a outros três com destinos internacionais a partir do aeroporto Juscelino Kubitscheck num processo que poderá transformar o DF em ponto de concentração aérea nacional, de acordo com o governador Agnelo Queiroz, participante dessa viagem inaugural.

"A retomada deste vôo direto Brasília-Buenos Aires é importantíssima para o Distrito Federal, para a consolidação da cidade como polo (aéreo) nacional, continental e –num futuro próximo– global", avaliou Queiroz, que se encontra em Buenos Aires para uma série de compromissos oficiais.

O embaixador argentino no Brasil, Luis María Kreckler, acrescentou: "Temos um turismo muito ativo e, em breve, Brasília estará cheia de visitantes argentinos".

Ele também considerou que "o Aeroporto de Brasília vai se transformar em um hub (ponto de concentração de voos comerciais) para as regiões Norte e Nordeste, já que o aeroporto de Guarulhos está esgotado".

A Aerolíneas Argentina operará novamente essa rota, a cargo de outras empresas até 2008 e cujos aviões faziam escalas, processo que fazia o trajeto entre as duas capitas durar até 15 horas pelas esperas em conexões.

Agora, contudo, tanto a ida como a volta não passarão de quatro horas, e o valor de venda de cada trecho ao interessado começa em R$230, sem incluir taxas de embarque.

O transporte será por aviões Boeing 737-800 e Embraer 190, que comportam 130 e 90 pessoas, respectivamente.

BATISMO – Como rege a tradição aeroportuária, sempre que uma empresa inicia a operação de uma rota, sua aeronave é lavada com a água lançada por mangueiras e canhões operados por caminhões-tanque que fazem a segurança do terminal aéreo, numa alusão à cerimônia cristã.

Em Brasília, o batismo aconteceu à 1h08, quando quatro caminhões do Corpo de Bombeiros fizeram um arco de água por baixo do qual o avião passou.

Esse reinício permitirá ao aeroporto de Brasília passará a oferecer quatro destinos sem conexões rumo a Miami, Atlanta (EUA), Lisboa (Portugal) e Cidade do Panamá (Panamá) sem escalas, além de rotas com escalas para San José (Costa Rica) e Bogotá (Colômbia).

Nenhum comentário:

Postar um comentário