terça-feira, 26 de março de 2013

Monumentos de Brasília mudam de cor pelo Ano Internacional de Cooperação pela Água


Congresso Nacional, o Palácio do Planalto, o Palácio do Buriti e a Catedral estarão iluminados com a cor azul até 31 de março
Moradores e turistas de Brasília que visitarem o centro da cidade no período noturno poderão presenciar uma das mais belas intervenções nas fachadas dos monumentos. Até o dia 31 de março, o Congresso Nacional, o Palácio do Planalto, o Palácio do Buriti e a Catedral estarão iluminados com a cor azul para lembrar o Ano Internacional de Cooperação pela Água. A iniciativa é mais uma manifestação de apoio do Governo do Distrito Federal às ações de incentivo à responsabilidade no manejo dos recursos naturais.
A mudança na coloração dos pontos turísticos de Brasília foi inaugurada na última sexta-feira (22), quando se comemora o Dia Mundial da Água. A iniciativa é uma parceria entre GDF e Agência Nacional de Águas, a UNESCO no Brasil, o WWF Brasil e o programa Água Brasil do Banco do Brasil.
Na mesma data, o governado Agnelo Queiroz assinou, junto ao Ministério do Meio Ambiente e à Agência Nacional das Águas (Ana), a adesão Pacto Nacional pela Gestão das Águas (Progestão). Foi também nesta ocasião, que Agnelo anunciou a candidatura da Capital Federal para receber o Fórum Mundial das Águas, em 2018. "É fundamental a capital do Brasil se inserir numa agenda positiva relacionada com a água. Estamos enviando todos os esforços necessários para que o evento venha para cá", disse o governador.
No sábado (23), a Ponte JK, a Biblioteca e o Museu Nacional, Catedral, palácios do Buriti e do Planalto e Congresso Nacional, tiveram as luzes apagadas por uma hora – das 20.30 às 21.30 – para chamar a atenção sobre a necessidade de reduzir as atividades que desgastam os recursos naturais. O governador Agnelo Queiroz lembrou que o DF compartilha das propostas que atendem ao desenvolvimento sustentável e à proteção ao meio ambiente e recursos hídricos. "Apoiamos projetos como a Hora do Planeta, tanto que as ações do GDF já têm essa visão. Programas como Brasília, Cidade Parque e a licitação para um novo transporte público, que será 180 vezes menos poluente que o atual, são exemplos disso", afirmou o governador.
Também participaram do ato, que teve adesão de 113 cidades brasileiras, o secretário de Meio Ambiente do DF, Eduardo Brandão, o superintendente de Conservação do WWF-Brasil, Mauro Armelin,  o diretor do Banco do Brasil, Wagner Siqueira  e o Chefe da Assessoria de Planejamento e Ordenamento Territorial -ASPOT - da Administração de Brasília Paulo Roberto Melo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário